Trilhas Poéticas – artistas que trabalham com questões de mobilidade, jogo e tecnologia

O projeto Trilhas Poéticas, de autoria do Coletivo Palavra (ver link), mistura jogo, arte e mobilidade. A partir de um aplicativo mobile que funciona por sistema de geoposicionamento (GPS), busca proporcionar aos usuários uma nova visão instigante, interativa, lúdica e reflexiva da cidade.

A plataforma permite o trânsito pelos espaços urbanos por trajetos particulares (trilhas) que acessam obras de arte em linguagens variadas, como texto, música, vídeo, poesia e o que mais a imaginação permitir.

O objetivo deste projeto é questionar os paradigmas do turismo e da arte digital trazendo uma nova alternativa aos participantes (trilheiros) e desbravadores que circulam por espaços urbanos. Inicialmente criado para Brasília – DF, já existem trilhas em outros lugares como por exemplo Reentrâncias, de Ivani Santana: Nas cidades de Fortaleza, Maceió, João Pessoa, Salvador e São Paulo, os trilheros poderão percorrer a trilha que foi criada especificamente para aquela cidade. Em São Paulo, por exemplo, nos arredores do SESC Santo Amaro as 5 trilhas ficaram disponíveis durante o mês de agosto de 2017  com imagens e mídias de video-dança criadas pelo coletivo de artistas envolvidos no Reentrâncias.

A plataforma pretende disseminar a arte local sobre todo o espaço urbano, aumentando e descentralizando a visibilidade das obras, uma vez que diferentes espaços podem ser ocupados a qualquer momento, e o produto apreciado a partir desse mesmo espaço assinalado no mapa.

Vídeo Manifesto do projeto – clique no link para assistir

https://youtu.be/0qqOJBjxCb0

Trocamos uma ideia rápida com o pessoal do Trilhas

  1. Como vocês vêem a relação do projeto com questões de mobilidade urbana?

O projeto estimula o caminhar pela cidade e revela novos trajetos, tanto aos turistas quanto aos moradores. A mobilidade é intrínseca ao uso da trilha, pois estimula o usuário a planejar a melhor rota para cada trajeto.

  1. Por que um jogo?

O app foi pensado de forma a ser uma espécie de “galeria a céu aberto”, apesar de usar uma estrutura parecida com jogos de caça ao tesouro. O app se propõe a ser uma nova linguagem poética, onde ao invés de virar a página do livro o usuário precisa se deslocar para obter parte da poética de uma obra, a qual se compõe todos os pontos poéticos de uma Trilha, que é a obra artística em si.  Acho que a discussão pode ficar no questionamento: Seria um livro um jogo?

  1. Como participar?

A pessoa interessada em participar do projeto, pode entrar em contato com o coletivo palavra através do e-mail palavracoletivo@gmail.com ou da página no Facebook https://www.facebook.com/trilhaspoeticasapp/

  1. Qual a relação do Trilhas Poéticas com o Coletivo Palavras?

O trilhas poéticas dá-se as caras por 2 membros do coletivo palavra, o qual o coletivo se apoia em 3 grandes pilares, esses são a multimidia, a colaboração e o hipertexto. E o trilhas vem permeando esses eixos.

  1. Quais são os principais conceitos que fundamentam essa iniciativa?

Essa iniciativa vem pela vontade de conhecer um local através dos habitantes residentes no mesmo, percebendo o turismo convencional com uma distância da realidade local, e gerando um turismo alternativo que valorize o espaço como ele é, e na visão dos residentes e não na percepção de um mercado.

 

Se interessou? Comece a trilhar : )

É possível baixar o aplicativo para smartphone

Tem um tutorial no youtube: https://youtu.be/r_6bplVqVVE

E tem página no Facebook também: https://www.facebook.com/trilhaspoeticasapp/

Bons caminhos a todos